segunda-feira, 13 de junho de 2011

AltaVila: Um ícone do amadorismo em empreendimentos na Capital mineira


Estive na noite do último domingo no AltaVila, complexo que reúne estabelecimentos de compras e lazer num dos mais altos pontos do extremo sul da Capital mineira — em rigor, já no vizinho município de Nova Lima, à margem de vias que conduzem a parte do que há de mais sofisticado e concorrido no setor de comércio e serviços, e também em residências, na região metropolitana de Belo Horizonte.


O elegante mall tem como destaque uma imponente e futurista torre de declarados 101 metros de altura, que se anuncia como a mais alta do Brasil com acesso ao público, toda revestida em aço inoxidável.

No pináculo da torre situam-se a cafeteria Sky, com formato de mirante em 360 graus, de onde se pode observar a extraordinária vista enquanto se bebericaria um café ou um whisky, e o restaurante Hoshi, que cheguei a considerar, em minha anterior visita, uma das melhores opções em cozinha japonesa de Belo Horizonte. No terraço, à falda da torre, encontra-se a representação local do mundialmente conhecido e celebrado Hard Rock Café.

Tudo parece encantador, ao longe. Mas o milionário shopping center com ares de disco voador pairando sobre a montanha não resiste, minimamente, ao exame um pouco mais aproximado e detido.  

Da improvisação no registro de entrada de veículos e na detestável cobrança do estacionamento, passando pelo clima de desolação nos corredores despovoados entre lojas vazias, pelo vozerio da turba no vestíbulo do Hard Rock Café, pelo insuportável calor e pela política de escorchamento da clientela de 'Dia dos Namorados' no Hoshi, até o completo e risível amadorismo do atendimento na Sky — que, a uma centena de metros do chão, só aceita dinheiro em espécie e não tem troco, como que a desconhecer, em pleno século XXI, o universal instrumento dos cartões de pagamento — , o veredicto sobre o AltaVila, concebido como um sofisticado centro comercial e hoje relegado ao abandono e à incompetência em sua operação, não pode ser outro: nota dez em infra-estrutura; nota zero em profissionalismo.

Que venham os visitantes do mundo todo em 2014!











Um comentário:

  1. Você sobe 101 metros e descobre que só aceitam dinheiro e desce pra sacar. Interessante.

    ResponderExcluir

Comentários dos leitores são altamente bem-vindos, desde que versem sobre temas contidos na publicação e obedeçam a regras de civilidade e bom tom — vale dizer, não contenham grosserias, ofensas ou calão. Referências com 'links' para ambientes externos são livres, mas não se admitem atalhos para arquivos, paginas ou sítios eletrônicos que possam causar qualquer tipo de dano a equipamentos e sistemas eletrônicos. Em razão disso, os comentários são moderados e podem demorar um certo tempo a aparecer publicamente no Blog do Braga da Rocha.